Inconformismo no profissional de Educação Física como forma de progredir

Comecei minha trajetória na Educação Física em 2004, com 17 anos. Se me perguntassem o porquê da escolha, eu diria que era o curso mais barato e que tinha a ver um pouco comigo, já que era atleta de voleibol na época, mas minha mãe havia falado sobre não ter condições de pagar de forma integral. Deus sempre tão bom e generoso comigo, permitiu que eu conseguisse por meio do esporte, uma bolsa de 60%. Ufaa, alívio total!!! Após 1 mês, iniciei meu primeiro estágio. Meu dia a dia era estudar pela parte da manhã, estágio à tarde (ficava até às 20h) e os treinos de voleibol aconteciam das 22 até 00h. Começava aí minha caminhada de superação, já conseguindo pagar minha faculdade.
Ingressei na Faculdade pensando em trabalhar em escolas, mas foi no campo da musculação que consegui meu primeiro estágio. Por conta disso, sempre procurei fazer inúmeros cursos para obter o maior número de experiências na área.
Em 2006, ingressei no Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva – NPOR, onde tive que enfrentar uma intensa jornada diária, além de muitos treinamentos de selva. Devido a isso, minha dedicação na área da Educação Física ficou restrita aos estudos.

Durante esse período, vi cerca de 90% dos meus companheiros desistirem da faculdade para apenas se dedicar ao NPOR. Pensei em fazer o mesmo, mas o compromisso com a faculdade era maior, até porque era o meu futuro que estava em jogo, já o NPOR tinha data para começar e data para finalizar.
Encerrado o meu período no NPOR, em 2007, retornei aos estágios na área de educação física, trabalhando numa academia de bairro, a academia Brasil situada na Compensa, onde lá trabalhava na sala de musculação, na Avaliação Física e com uma escolinha de futebol. O trabalho era muito bom, mas ao ter que pegar ônibus na Avenida Brasil para voltar para casa, no famoso 001, sofria com medo dos assaltos. Mesmo com toda prevenção fui assaltado duas vezes. O sentimento era de desistir, mas não podia, aquele dinheiro serviria para pagar minha faculdade.
Cheguei a ficar quase um ano trabalhando lá quando fui para outra academia de bairro, porém ficava no bairro onde eu morava, Parque Dez. Na época me arrependi um pouco, já que passava até 4 meses sem receber minha bolsa-auxílio. Era sufoco total, mas mesmo assim eu estava todos os dias cumprindo a minha carga horária que era das 16 às 22h, por conta do compromisso que tinha. Foram momentos de provação, pois eu dependia daquele dinheiro para pagar minha faculdade.
Consegui concluir o meu curso, e nessa mesma época ainda estava trabalhando neste espaço, e foi quando finalmente consegui ser chamado para uma academia que era de grande porte, a Top Life. Foi nesse espaço que consegui, de fato, começar a mostrar o meu trabalho, que sempre foi baseado com respeito e seriedade.

Um ano depois, consegui passar no processo seletivo da Cia Athlética, academia renomada e conhecida no Brasil todo. Após passar nesse processo, ainda fiquei 6 meses em treinamento, todo sábado e domingo, para depois saber se passaria ou não. A vontade de desistir também era grande, mas ao pensar no que representava aquela academia, continuava firme e forte indo todos os sábados e domingos para poder proporcionar aos meus alunos, caso fosse selecionado, o maior conhecimento possível. Com a Graça de Deus e com muita persistência, fui um dos selecionados para trabalhar, naquela que seria a mais nova academia em Manaus da Cia Athlética, no Shopping Manauara.
Lá fiquei 2 anos e 8 meses, tive muitos momentos bons e de muita aprendizagem, mas o tempo foi desgastando. As altas taxas de personal, no qual era cobrado, pagar o estacionamento (sim, eu que tinha que pagar o estacionamento do Shopping), a hora aula que recebia não chegava a R$ 8,00 reais, muitos feriados e finais de semana trabalhados e na época não concordava muito com as decisões da gerência, isso acabou levando a um descontentamento muito grande.
Dia após dia o trabalho ficava cada vez mais pesado, foi quando decidi fazer o curso de Direito. Comecei o curso com o sonho de mudar aquela realidade, mas a vontade de ministrar aula sempre foi muito grande. Cheguei a entrar como sócio num quiosque para vender Frozen de Açaí, mas os planos só ficaram no papel e o valor investido no momento até hoje não recuperei.

Naquele momento eu gastei minhas reservas e tinha que pagar minha faculdade, além da prestação do carro que tinha comprado por conta de um acidente de moto.
Olhei, pensei, pensei mais uma vez e em julho de 2012 decidi começar a ministrar aulas em espaço público. Como morava no Parque Dez, pensei logo no campo do buracão, pois o CSU, lugar até mais organizado, já estava ocupado por outro professor.
Decidi sair da academia, e, no dia 6 de agosto de 2012, iniciei o Treinamento Funcional Michel Oliveira, no Campo do Buracão, com horários de 5:30 às 6:30 / 6:30 às 7:30 / 19h e 20h. Quando informei para minha mãe sobre minha decisão ela apoiou e perguntou quem eu levaria comigo para atender as pessoas e auxiliar no recebimento. Quando ela falou isso, fui logo respondendo que eu mesmo faria tudo isso (quanta ilusão). No exato momento ela falou, leva sua irmã e completou, com o dinheiro que vocês receberem você paga a faculdade dela. Na época minha irmã cursava Direito, ou seja, já ia começar com esta responsabilidade que somava um pouco mais de R$1.000,00 reais.
Analisando o que tinha para começar, vi que não tinha nada. Minha primeira compra de material foi toda na Net Shoes, parcelada em 12x no cartão da minha mãe. Comprei a primeira leva de acessórios incluindo estacas, bambolês, escada de agilidade, elásticos, cones médios, cone chinês, barreiras, garrafão de água e alguns bancos para os alunos sentarem.

A Pick Up que eu tinha já serviu para carregar todos esses acessórios. Lembro como se fosse hoje, acordando às 4h da manhã, minha irmã enchendo o garrafão d’água e eu pegando o gelo para colocar dentro. Lá estávamos indo a caminho da primeira aula. No primeiro dia, confesso que fiquei surpreso, pois treinaram conosco naquele dia umas 30 pessoas.
Não deu um mês, já fiz outra compra incluindo alguns kettlebells e halteres, pois nossas aulas já estavam sendo procuradas por outras pessoas. Cheguei a ministrar aula no campo do buracão no horário das 20h para 90 pessoas.
Na mesma velocidade que nossas aulas estavam sendo procuradas, começou a bater uma certa angústia, pois naquele local não tínhamos banheiros, sendo que nosso público maior eram mulheres. Outra coisa que me tirava o sono eram os animais que utilizavam o campo para excretar, aumentando o risco de contaminação da areia.
Uma coisa é certa, cerque-se de pessoas que venham “somar” com você, pois isso é fundamental. A participação da minha irmã foi de extrema importância, pois sem ela, tenho certeza que não estaria onde estou hoje. Sim, isso mesmo, pois ela tem umas “sacadas” que só ela tem e que o seu lado empreendedor nos ajuda muito. Obrigado irmã, você é sensacional!!!!
Após 1 ano e meio trabalhando, guardando dinheiro, conseguimos mudar para um local, onde lá investimos um dinheiro que havia juntado, mais um dinheiro que pegamos emprestado no banco, com a ajuda da minha esposa, cujo pagamento chegará ao final agora em outubro de 2017.

Após muitos sacrifícios, muitas horas de trabalho, que por sinal só aumentaram com o tempo, em 2017 consegui entrar em meu próprio espaço de treino localizado no Parque Dez.
Uma área de 720 metros quadrados com sala de avaliação, incluindo nela uma Bioimpedância, banheiros climatizados, sistema feito por encomenda, área de treino coberta com acessórios novos e muitas novidades sempre chegando.
Hoje faço no mínimo 5 cursos por ano voltado para minha área, todos em busca de maior qualidade em nosso trabalho.
Tenho feito cursos voltado para marketing Digital, Gestão, Coach para que o tratamento com o aluno seja o melhor possível.
Hoje somos um espaço que atende mais de 350 pessoas diariamente.
Essa é um pouco da minha história…
E você, o que faz para mudar a sua realidade?
O que tens feito para sair desta zona de conforto?
Você está satisfeito com seus resultados atualmente?

 

Hoje eu faço parte do Centro de Treinamento Michel Oliveira – O que você deseja alcançar ainda este ano?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *